Woocommerce Menu

Marketing de conteúdo de e-commerce: 5 dicas



Com uma economia incerta e orçamentos familiares mais apertados, os compradores querem fazer valer cada compra.

No entanto, com um espaço de comércio online cada vez mais lotado significa que as marcas estão lutando para romper o ruído digital.

Para estabelecer seu lugar na vida dos clientes, sua marca deve transformar as mensagens de marketing em inteligência emocional. A chave para atingir o tom certo com seu público? Empatia.

Os compradores estão buscando uma conexão emocional

Com tantas marcas vendendo produtos semelhantes de qualidade e custo comparáveis, os compradores desenvolveram uma racionalização alternativa para suas compras: alinhamento emocional. 

Quando se trata da decisão entre dois pares de meias aparentemente idênticos, por exemplo, os consumidores escolherão a marca que acreditam compreender melhor e se adequar às suas crenças e motivações individuais.

Reconhecer o indivíduo. 

Conectar-se com seu público em um nível emocional requer reconhecê-los como seres humanos diversos, cada um com suas próprias experiências de vida e crenças únicas, em vez de meros consumidores. 

Evite declarações generalizadas que presumem que sua base de clientes é homogênea. 

Em vez disso, conte com táticas de personalização que permitem que sua equipe de marketing entregue conteúdo individualizado e hiper relevante.

Seja autêntico. 

Mesmo que os consumidores tenham se tornado mais orientados para o valor, provavelmente não faz sentido para sua marca ter uma opinião sobre todas as questões sociais. 

Na verdade, falar demais pode soar como hipócrita ou oportunista. Embora existam algumas questões gerais sobre as quais os americanos esperam que as marcas tomem uma posição, outras podem não ser relevantes para o seu produto ou serviço. 

Coloque-se no lugar do seu público e pense nas questões cotidianas que o afetam. 

Por exemplo, se sua empresa vende fraldas para bebês, você pode querer desenvolver uma campanha para melhorar as políticas de licença parental no local de trabalho.

Transmita emoção. 

Pode parecer bobo, mas provocar emoção requer realmente mostrar emoção. Marcas que não expressam sentimentos humanos – de alegria a indignação – parecem robóticas e indiferentes.

O comportamento de compra motivado pela emoção só se tornou mais comum nos últimos meses. 

Formando conexões mais profundas com seus clientes

É claro que os compradores desejam formar conexões emocionais com as marcas.

 Mas os profissionais de marketing costumam ser muito cautelosos com suas mensagens, preferindo comunicações seguras, porém inacessíveis, que pareçam distantes e removidas para os consumidores. 

Com a estratégia certa, no entanto, você pode forjar as conexões mais profundas que os consumidores procuram, ao mesmo tempo que se mantém fiel ao propósito da sua marca.

Em última análise, tudo o que a maioria dos humanos deseja das pessoas com quem interagimos é empatia. 

Não deve ser surpresa que o mesmo desejo de conexão emocional seja transmitido às marcas com as quais nos relacionamos. 

E essa necessidade humana inata é especialmente significativa, visto que uma pandemia global mantém os consumidores fisicamente desconectados e cautelosos quanto aos gastos.

Sua marca não precisa apenas praticar a empatia para prender os compradores de fim de ano na atual economia apertada, mas também para entender verdadeiramente seu público – e entregar valor significativo e relevante em todo o ciclo de vida do cliente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *